Conheça a FEMEH

SOBRE A FEMEH

UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA

ORGANIZAÇÃO DA FEMEH

ESTATUTO

POLÍTICA DE FINANÇAS

O que é a FEMEH? 

FEMEH significa Federação do Movimento Estudantil de História. Entidade que representa todos os estudantes de Graduação seja Bacharelado ou Lincenciatura e pós graduação, por meio dos Centros e Diretórios Acadêmicos de História a nível nacional.

A sigla de nossa federação em seu significado fundamental: Federação do Movimento Estudantil de História. Portanto, Movimento Estudantil não é somente representando-o, mas com ele! Assim, a função primordial da FEMEH é organizar o Movimento Estudantil de História, construindo suas pautas de forma Combativa e Democrática 

Dessa forma, não devemos pensar na FEMEH enquanto somente aqueles que fazem parte das coordenações nacionais e regionais. Todes es estudantes de História do Brasil compõe a FEMEH, e devem construí-la no seu dia-a-dia

.

Durante 21 anos o país viveu sob a ditadura Civil-Militar. Diversos movimentos sociais e grupos organizados – inclusive o movimento estudantil atuantes na sociedade, foram vítimas do regime repressor do Estado. Militantes foram perseguidos, exilados, torturados e até mesmo mortos pelo terrorismo de estado implantado pela ditadura civil-militar. Destacamos aqui o movimento estudantil que durante este período foi às ruas reivindicando o direito à liberdade e à democracia no Brasil.

Na década de 80 encontramos o processo de redemocratização, os movimentos sociais se rearticularam. Nesse contexto, em 1987 o movimento estudantil de história iniciou a construção da Federação do Movimento Estudantil de História (FEMEH), no VIII Encontro Nacional de Estudantes de História, ocorrido em Brasília. Um importante instrumento da luta des estudantes na redemocratização do país, a FEMEH ao longo de sua história vem construindo importantes pautas. A defesa da regulamentação da profissão de historiador foi uma bandeira central da federação até o ENEH de 2006, ocorrido em Florianópolis, quando não havendo mais consenso em sua construção, foi priorizada a questão da abertura dos arquivos da ditadura. Essa pauta é importante por aglutinar os diversos setores do Movimento Estudantil, bem como dialogar com outros Movimentos Sociais, visando a produção de um conhecimento crítico acerca do nosso passado e a transformação da realidade presente. É importante colocar, que a FEMEH não organiza somente as lutas específicas, mas se articula com outras executivas e federações de cursos, mais também, movimentos sociais em defesa da educação pública, emacipadora, gratuita e de qualidade para todes, além de outras demandas sociais.

É notório, uma grande desarticulação de nossa federação, a qual reflete a situação do Movimento Estudantil em geral. Problemas como a falta de diálogo com xs estudantes no dia-a-dia e o esvaziamento político dos encontros nacionais e regionais tem contribuído para a desarticulação da FEMEH. Nesse sentido, se faz necessário um esforço de reconstrução da nossa federação! A nossa participação fortalece esse movimento de resistência que é o MEH!

Em 2019, se iniciou o processo de sucateamento da educação que tanto defendemos, desde então é perceptível que o atual governo não tem como pauta da sua gestão a educação pública e de qualidade: 
I- Criminalização das Entidades Estudantil; 
II- Contingenciamento/corte no PNAES e Contas das IES;
III- Ataques diariamente contra os cursos de humanas; 
IV- Falas públicas de ataques as Universidade. 

Diante disso, somos responsável por organizar as lutas do MEH, a partir de cada conjuntura um diferente posicionamento uma coisa temos garantida, não vamos negociar nossos direitos e muito menos nos calar, somos uma federação Combativa e Democrática, capaz de lutar todos os dias com a participação de todes dentro dos espaços. 

 


A FEMEH é constituída da seguinte forma:

Secretaria Geral Nacional: composta por 5 Secretarias (Organizativa, Comunicação, Finanças, Combate as Opressões e Projetos) cada uma com 3 cadeiras totalizando 15 escolas que são eleitas anualmente no ENEH. Ela é responsável pela articulação do movimento a nível nacional.

Coordenações Regionais: O Brasil é dividido em 4 regionais, cada qual tem uma coordenação própria, composta por uma escola eleita anualmente, responsável por articular o movimento a nível regional. As regionais e suas respectivas coordenações são as seguintes: Norte-Nordeste (AC, AM, PA, TO, RO, AP, RR, BA, SE, AL, PB, PE, RN, CE, PI, MA), Centro-Oeste (MT, MS, GO, DF), Sudeste (SP, MG, RJ, ES) e Sul (PR, SC, RS).

CONEHI: O Conselho Nacional das Entidades Estudantis de História é onde os Centros e Diretórios Acadêmicos se reúnem para organizar a Federação nacionalmente, sendo suas decisões submetidas às da plenária final do ENEH. Estudantes de outros cursos podem participar do conselho, tendo direito a voz, contudo somente os CAs e DAs tem direito a voto (um por entidade, independente do número de pessoas de cada CA presentes) e/ou caso de participação individual na Federação. 

COREHI: O Conselho Regional de Entidades de História é onde os Centros e Diretórios Acadêmicos se reúnem para organizar a Federação regionalmente, sendo que cada regional organiza seu próprio COREHI. As decisões tomadas nesse espaços estão submetidas às da plenária final do EREH e ENEH. Estudantes de outros cursos podem participar do conselho, tendo direito a voz, contudo somente os CAs e DAs tem direito a voto (um por entidade, independente do número de pessoas de cada CA presentes). 

ENEH: O Encontro Nacional de Estudantes de História acontece anualmente. É composto por espaços acadêmicos, políticos e culturais. É o espaço privilegiado de construção do Movimento Estudantil de História, de aproximação de novos estudantes e de acúmulo de debate acerca de diversos temas. A plenária final do ENEH é a instância máxima de deliberação da FEMEH. 

EREH: O Encontro Regional de Estudantes de História acontece anualmente em cada uma das regiões do Brasil. Como o ENEH, ele é um espaço privilegiado de construção do Movimento Estudantil de História, sendo especialmente importante por capilarizar ainda mais as pautas da Federação e preparar as discussões de modo que elas cheguem mais aprofundadas no âmbito nacional.

GTs permanentes: Os Grupos de Trabalho permanentes visam o aprofundamento e acúmulo da federação em diversos temas. Cada GT é organizado por uma escola, e visa a produção de materiais para o enriquecimento das discussões da FEMEH. 

O estatuto de nossa federação é o documento que rege o funcionamento interno da FEMEH. Nele você encontra questões referentes às coordenações, encontros e etc. A última alteração que o estatuto ocorreu no ENEH de João Pessoa, em 2019. Ainda assim, há alguns aspectos desse estatuto que se encontram em desuso, tais como a filiação de Centros Acadêmicos, por exemplo. A versão abaixo contém a última atualização do Estatuto.

A FEMEH precisa desenvolver diversas atividades de modo a construir o Movimento Estudantil de História. As circulares é um importante instrumento de divulgação da federação e de suas pautas. Os CONEHIs e COREHIs demandam viagens e a construção dos ENEHs e EREHs precisa de um respaldo financeiro.

Finanças da federação:

A FEMEH enfrenta desafios no seu financiamento. Financiamento é um assunto sério, e demanda discussão. Todo mundo conhece o ditado “Quem paga a banda escolhe a música”. Pois bem, o financiamento do Movimento Estudantil se dá da mesma forma. Receber dinheiro de alguém quer dizer atrelar-se politicamente ao financiador, mesmo que ele não cobre uma contrapartida direta, pois significa concordar com sua ideologia e política.

A FEMEH é uma entidade construída por estudantes para as pautas políticas do Movimento Estudantil de História. Assim, é aos estudantes que ela deve responder. Tal autonomia só é possível com a independência financeira. Os estudantes devem financiar e construir sua entidade para, assim, fortalecer um Movimento Estudantil independente e apto a tocar a luta dos estudantes.

Tá, legal, mas e na prática?

Na prática a FEMEH tem adotado alguns mecanismos de financiamento através de deliberação feita no Último ENEH.

– Que as entidades filiadas (CAs e DAs) no ato da filiação, contribua voluntariamente de acordo a entidade tenha condição;

– Que se dividam os lucros dos encontros da FEMEH entre a federação e a escola sede de acordo com o decidido na plenária final do encontro.

Criado pela Secretaria de Comunicação da Federação do Movimento Estudantil de História

  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube